O lúdico para promoção da qualidade de vida na terceira idade

qualidade de vida na terceira idade

Para uma melhor adaptação ao processo de envelhecimento, utilizar uma metodologia lúdica é um excelente caminho.

Atividades de recreação e entretenimento promovem conexões sociais e criam mecanismos que contribuem para autonomia do idoso, melhorando sua qualidade de vida.

Segundo a Organização Mundial da Saúde – OMS, a saúde não se restringe à ausência de doença,  mas envolve o bem- estar físico , mental e social, que permitem que o idoso identifique e realize  seus desejos e necessidades.

Acreditamos que de uma forma lúdica podemos contribuir para promoção  da saúde da pessoa idosa, proporcionando um viver mais produtivo e satisfatório.  Mas por que?

O lúdico envolve uma série de atividades que remetem  ao divertimento e ao entretenimento e,  consequentemente, proporciona  a manifestação do prazer, satisfação, e alegria, permitindo ao idoso vivenciar uma experiência plena e saudável.

O lúdico, o brincar,  faz com que o idoso lide com seus próprios pensamentos, criatividade e humor. A pessoa idosa sente-se um ser mais ativo, que se movimenta e comunica através de linguagem  e expressões que estimulam a convivência com outras pessoas, tendo a oportunidade tanto de aprender como de ensinar.

 O desenvolvimento do aspecto lúdico funciona como um instrumento facilitador da aprendizagem e do desenvolvimento pessoal, social e cultural e, desta forma, colabora para o idoso obter  boa saúde física e mental.

A pessoa idosa normalmente apresenta sentimentos de angústia e insegurança, tornando-se mais vulnerável.  Nesta etapa da vida,  a interação social proporcionada por atividades lúdicas ajuda  o idoso a não cair em quadros depressivos, trazendo benefícios psicológicos como a melhora da auto- estima e motivação, e funcionando como prevenção a doenças e auxiliar à manutenção da autonomia e independência, fundamentais para uma boa qualidade de vida do idoso.

A autonomia  é o exercício do autogoverno. Significa a liberdade individual, privacidade, livre escolha e independência moral. A  independência é a capacidade funcional que permite ao indivíduo sobreviver sem ajuda para atividades instrumentais da vida diária e do auto-cuidado.

Há várias atividades que podem ser desenvolvidas: jogos de memória e concentração, quizzes, passatempos, , danças, contação de histórias entre outros. A pessoa idosa tem um leque de opções para escolher o que gosta. Seja qual for de sua preferência todos , oferecem diversos benefícios, tornando-se uma excelente forma de estimulação motora e cognitiva e manutenção da autonomia e independência .

 A abordagem lúdica estimula o idoso à atitude preventiva. Concordamos com o ditado popular que diz: “é melhor prevenir do que remediar.”