O cuidar e o cuidador do idoso: que tipo de relação é essa?

cuidador do idoso

A ocupação de cuidador de idosos, embora não seja regulamentada por lei, é reconhecida e integra a Classificação Brasileira de Ocupações (CBO), do Ministério do Trabalho, sob o código 5162-10.

Cuidar deve ser encarado como uma profissão que envolve ocupação, preocupação, muita responsabilidade, respeito e, sobretudo, dedicação, comprometimento e amor ao próximo. O cuidador assiste o idoso de maneira individualizada, levando em consideração todas suas limitações físicas, psíquicas e ambientais.

O cuidador deve ser visto como um profissional que é  regido por uma série de princípios e atribuições. Cada faixa etária requer um cuidador com determinado perfil. Alguns são excelentes em cuidar de bebês e crianças. Outros se adequam melhor aos cuidados com idosos, que exigem um olhar diferenciado. Certamente, independentemente do indivíduo a ser cuidado, o cuidador deve zelar pelo seu bem-estar, saúde, alimentação, higiene pessoal, educação, cultura, recreação e lazer.

Cuidados com a higiene pessoal, saúde e bem-estar do idoso: É de extrema importância que o cuidador tenha formação em curso específico na área, e vasta experiência com o público em que atua. Além disso, pelo fato de o cuidador entrar na rotina do lar do idoso e cuidar de suas atividades diárias, desde o banho, alimentação até as necessidades fisiológicas, é necessário ser uma pessoa de extrema confiança e que tenha idoneidade verificada.

O ambiente domiciliar organizado e limpo  é  também de responsabilidade do cuidador, que deve realizar os afazeres domésticos relacionados ao idoso, promover adequação ambiental para prevenção de acidentes, cuidar de suas roupas  e objetos pessoais, e preparar o leito de acordo com as necessidades da pessoa idosa.

É essencial que ele tenha uma escuta paciente, dê apoio emocional e psicológico, ajude na recuperação da autonomia do idoso, e estimule sua independência. O afeto, o olhar ao próximo com compaixão e,  acima de tudo, o respeito à pessoa idosa em seus hábitos, gostos e valores, é o que deve permear o ser cuidador. Há momentos em que o cuidador precisa ser perspicaz e sentir a necessidade de encaminhamentos para profissionais especializados.

Cuidados com a alimentação do idoso: Outra consciência que o cuidador deve ter é sobre a alimentação balanceada e saudável do assistido, estando atento a tudo, desde sua participação na elaboração do cardápio, assim como observação da qualidade e validade dos alimentos. O cuidador faz as compras conforme o cardápio, prepara a alimentação, serve a refeição e a porção adequada, controla a ingestão de líquidos e, quando  possível, reeduca o idoso em seus hábitos alimentares.

Entretenimento: Como em todas as faixas etárias, a pessoa idosa anseia por passeios e viagens. Cabe ao cuidador planejar, consultar a família e o idoso,  e fazer os passeios, arrumar as malas, preparar a caixa de remédios, precaver-se para emergências levando documentos e lista de telefones úteis, preparar alimentação da viagem com antecedência e, sobretudo, fazer com que a experiência de viajar ou passear seja prazerosa para todos.

O cuidador é, além de um profissional a quem devemos toda nossa consideração, um braço amigo do idoso e da família, de forma indireta. Assim, o idoso vive sua rotina com bem-estar e qualidade de vida, enquanto a família pode ficar segura de que seu ente querido está em boas mãos, e somente preocupar-se, em seu tempo livre, em compartilhar todo o amor e carinho com o idoso.